quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Engatar a segunda ou a quinta marcha?


Esses dias me deparei com questões sobre ser intenso ou não na entrega de si mesmo em romances ao longo da vida. Para ficar claro, sim, eu já tive muito medo de me relacionar e nem sempre fui intenso, por própria defesa (já acreditei que corações gelados sofrem menos), já tive pavor de olhar retrospectos ou medo do fim, medo simplesmente de não dar certo. Será que sobreviveria? Existiria vida pós você? [...]


Então, após alguns anos e  (des)amores fracassados, surgia tal dúvida: engato a segunda e deixo tudo seguir brando ou engato a quinta marcha e sinto o vento bagunçando meus cabelos?
Já ouvi: "vá devagar", "não se apegue" ou "não diga que não te avisei". Quase sempre acompanhado de olhares desaprovadores.

Minha opinião sobre engatar a segunda ou a quinta marcha em um relacionamento continua seguindo tal linha de raciocínio:
  • Relacionamentos onde engatamos a segunda marcha: 
    • Entramos pisando em ovos, com cautela, receio, medo e outras palavras que não vem ao caso mas que te transformam em um monte de merda, o relacionamento pode até ser mais brando, ser mais tranquilo, menos turbulento, com atritos menores... porém, vem agregado de menos tesão, menos desejo, uma felicidade mais ou menos, uma satisfação meia bomba, um bem estar mais para lá do que para cá. Tudo fica no meio termo, inclusive o pau que não esconde a insatisfação e prefere um repouso na cueca boxer branca de algodão ao invés de desbravar terras nem tão interessantes.
  • Relacionamentos onde engatamos a quinta marcha:
    •  Começamos com desejo, com vontade, inteiro. Transformamos nossos momentos em algo quase apocalíptico. Ficamos com tesão na mesa do café. Falamos a verdade sem se preocupar em ser cafona ou clichê... obtemos os melhores sorrisos, os melhores olhares, os melhores beijos -aqueles que terminam e se iniciam novamente, com tesão e entrega. Esses relacionamentos vem agregados de Wasabi para temperar nossas sacanagens, de endorfina, adrenalina, dopamina... é satisfação que pulsa e pula no peito. Nada fica cinza ou morno. Vem de bônus track cuecas meladas antes do sexo, por puro desejo, vem acompanhado de entrega.
Prefiro a entrega, engato mesmo a quinta marcha.
Eu me entrego aos seus olhos verdes, suas camisetas estampadas e até para os sashimis + seu charme de comê-los com hashis.
Me entrego para os seus sorrisos-de-criança-que-ganhou-presente-novo ou para as suas gargalhadas quando faço cócegas em você.
Me entrego para os dias ensolarados ou molhados, para as cores da sua alegria ou do céu. Posso abrir o guarda chuva ou vestir bermuda, ao seu lado isso é mero detalhe. Também me entrego para as Stellas Artois meia-quente-meia-gelada-pós-beijo. Me entrego para os seus cheiros, para os seus gostos.
Me entrego para sua boca buscando a minha. Para a sua língua passeando pela minha orelha. Me entrego para os sons da sua alegria.
Acho quase indescritível a sensação de deixar-te livre para ir e me entrego quando você me ligar no outro dia querendo me ver, marcando um almoço no expediente ao sábado, ou um café no domingo a noite. O encontro mais foda de todos é esse que parte de você sem o meu esforço. Meu esforço é só sobre você.
Eu me entrego aos nossos corpos colados de suor e tesão, com gosto de sal, com gosto de mar.
Me entrego aos seus e-mail's breves, desses com uma só palavra: SAUDADE. 
Me entrego ao seu bordão: "palhaçada". Seu bordão mais seu sorriso, sempre acompanhado de olhos brilhantes e com mira. Me fita, me mira e me tira: me tira do sério, me tira os sentidos e depois tira a minha cueca.
Me entrego porque acredito que vale mais a pena quando nos doamos por inteiro, o sabor da conquista é melhor.
Comigo não tem meio termo e enquanto eu te ligar, mandar e-mail's e torpedos sacanas, pode ter certeza que terá algo inteiro, intenso, vermelho, apimentado e cheio de tesão. Algo com desejo, verdade e entrega. Algo na quinta marcha.
Tenho sono quando ouço pessoas pedindo para eu ir com calma. Tenho vontade de mandá-las ir a merda e continuar seus relacionamentos mornos, desses que não se vive por medo de morrer. Continuem andando no parque de mãos dadas e discutindo política. Prefiro falar sobre entretenimento em alguma King Size.

8 comentários:

R Linhares disse...

Perdi a conta de quantas vezes li as palavras tesão e cueca nesse texto! hahaha Tá passando bem, hein!? Isso é bom pro coração e pro blog.
Quanto a escolha da marcha, concordo com você em quase tudo.
Por isso já morri tanto por excesso de emoções e de velocidade, como diria a Amy, "I died a hundred times" mas ainda prefiro a emoção às coisas mornas.
E considere discutir política na king size, viu?! Têm coisas que só fazem sentido lá... rs
Beijão baby!

Daniele Oliveira disse...

E eis que ele se rende a paixão e finalmente abandona o puritanismo tão insosso e abre os sentimentos sem pudor. Nada como sexo despudorado misturado com uma bela paixão com previsão de amor ao longo dos meses. Lembra o meu texto que tanto te assustou...póis é, vi ele aqui e me declaro satisfeitíssima! Engata a marcha que você quiser, se entrega, se joga, mergulha no que a vida tá te dando de presente de ano novo. E se nada der certo eu repito mais uma vez, estou aqui e te ajudo a se erguer, mas não seja nunca, jamais covarde á ponto de deixar de viver. Se for o caso de se decepcionar de alguma forma vai aprender com isso.Estou orgulhosa de você e tenho dito!

. Nadine disse...

Que falta me faz te ler assim. Peço desculpa pela ausência.

É bom, se entregar, perder no outro. É uma pena a gente nunca estar preparado para um ponto final.

Beijo Briccio.

Matheus disse...

Realmente um momento muito bom, aproveite enquanto há tempo! Momentos assim que faz a gente esquecer de tudo e de todos, com a cabeça apenas no que mais lhe satisfaz. Fico feliz por você, e parabéns pelo texto tão doce, ao mesmo tempo excitante e curioso rsrs.

Anônimo disse...

Confesso que a quinta marcha é muito interessante, principalmente quando ambos estão utilizando a mesma marcha. Junto os dois conseguem chegar na decima, com um unico detalhe felizes pelo resultado.

Eder Fabricio disse...

Rafa, então estou passando bem? heehe Digamos que não posso reclamar. =D
Obrigado pela presença por aqui jornalista! Grande abraço.

Dan, meu presente de 2011. Realmente me conhece, estou rendido. E está ótimo assim. Tomei um porre de Bud ontem e tive certeza de todos os meus sentimentos... vc sabe né? A bebida entra, a verdade sai.rs Beijão, te amo.

Nadine, senti sua falta viu. Moça querida que gosto tanto. Um beijo enorme.

Matheus meu amigo, obrigado pelas palavras, fico lisonjeado. Realmente me esqueço do mundo, tudo passa a ser mero coadjuvante. Um abraço.

Anônimo... rs quinta marcha é bom né? Décima seria elevar a perfeição ao quadrado. Obs. adoraria saber quem é você ahahahahah

Flávia Naves disse...

Porque o bom é ser assim, intenso. O " e se " não faz história. Engata a quinta marcha e faça cada minuto valer a pena!

Briccio disse...

Exatamente Flávia. Que bom que pensamos da mesma forma. Beijão.