quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sobre prefácios e finais

Lá, esqueço-me no teu gosto, perco-me no teu cheiro. Entregastes as chaves, bobo, achei que fosses amor meu.
A utopia do azul, falso sorriso de porcelana, mar de ressaca, quero não.
Warner, HBO e Sony, tudo pretexto, deitar do seu lado, ter-te nas mãos.
Ri, desejei, quis, não me assustei ao me sentir feliz. Esperastes isso? Logo eu.

E antes d'eu mostrar meu mundo pra você. Deixo tu entrar pela janela do quarto. Sou teu.
Nem que eu me vire do avesso, me arda em desejo, quero, mesmo em tropeços, não será em vão.
Colei prefácios e finais na parede. Mas ei de te contar meu segredo: colaremos volumes II, III e IV no chão.
Eu, Romeu enjaulado, acorrentado pelos pés em Alcatraz, você, minha linda Julieta, diz mais uma vez que sou seu.

4 comentários:

SilverLux (Éverton) disse...

Poxa... deu vontade de chorar esse! Faz assim comigo não que não tô podendo chorar queridão! Perfeito pra variar... obrigado por esse momento!

Maxwell Soares disse...

Parabéns pelo texto. Feliz Natal e excelente 2012.

. Nadine disse...

Li, reli, me entreguei a esse texto-história-vida. Queria cuidar das suas palavras como se fossem minhas.

É incrível quando a gente conhece alguém que queremos incluir no nosso cotidiano de qualquer forma. Vá em frente. Lute. Bom par.

Perfeito é pouco para você.

Beijo,
sua amiga Nadine de sempre.

Eder Fabricio disse...

Éverton isso é o que eu mais faço ultimamente. rs Obrigado pelo perfeito. Quem bom que gostou. Abração.

Maxwell tudo de bom pra ti tbm.

Nadine,tá tão foda esse momento, tenho passado por situações e conhecendo sentimentos inéditos. Obrigado pelo carinho. Um beijão carinhoso do seu amigo que te admira muito.